Audiência pública conjunta entre a Câmara Municipal de Maceió e a Assembleia Legislativa Estadual (ALE) discutiu, na sexta-feira (27), o combate à violência contra os idosos. Com o tema central 'As Faces da violência contra a pessoa idosa e seu enfrentamento pelo Poder Público, pela sociedade civil organizada e pela família', o encontro reuniu representantes de vários órgãos municipais e estaduais no plenário da Assembleia. A audiência foi proposta pela vereadora Fátima Santiago (PP) e pela deputada estadual Jó Pereira (PMDB),

Fátima Santiago destacou que embora o País tenha leis importantes sobre o envelhecimento, na prática a pessoa idosa ainda não entrou como prioridade na agenda pública, nas famílias e nas instituições, por isso a necessidade de unir forças e discutir o assunto.

"A existência dos diversos programas sociais, a exemplo do Bolsa Família, bem como a melhoria no atendimento médico, associado ao controle de natalidade, tem propiciado uma maior longevidade à sociedade mundial. Mas o que mais preocupa com esse crescimento é o aumento do número de demandas, como a criação de instituições de longa permanência. Vamos precisar de mais atendimento médico e ainda não estamos com políticas públicas voltadas para essa população”, destacou a vereadora, defendendo a criação de mecanismos que venham acolher os idosos nos seus diversos aspectos.

“Fiquei muito feliz ao saber que o Estado criou quatro delegacias de referência à violência contra o idoso, localizadas no 4º, 5º, 6º e 8º distritos policiais, que irão receber as demandas”, disse Fátima Santiago, acrescentando que a sociedade necessita de outros órgãos de atenção imediata, a exemplo de uma delegacia especializada.

Para a deputada estadual Jó Pereira, o objetivo da audiência foi o de discutir meios que contribuam para a luta pelos direitos e a garantia da defesa e proteção dos idosos em Alagoas. "A violência por eles sofrida ocorre, na maioria dos casos, no núcleo familiar. Por ser uma violência múltipla, pode ser física, psicológica, financeira ou negligência. Os dados assustam em razão da origem dessa violência. Os filhos são os principais algozes”, disse, defendendo que os investimentos na educação são o caminho mais eficaz no enfrentamento desse grave problema social. “O número de notificações aumentou a partir do funcionamento do Disque 100, em 20 de novembro de 2012. Em razão dessas notificações, podemos enxergar o mapa da violência multifacetária”, declarou a parlamentar, defendendo a criação de políticas públicas no combate à violência.

A presidente do Conselho Estadual do Idoso, Maria Lúcia Santos Moreira; a vice-presidente do Conselho Estadual do Idoso, Elisabeth Toledo de Lima; o jornalista e gerontólogo Francisco Silvestre dos Anjos; a representante da Associação Nacional de Gerontologia de Alagoas (ANG-AL), Sônia Maria Alves Silva; e o representante do Conselho Municipal do Idoso, José Fernandes Sobrinho, foram os palestrantes do encontro.