O presidente da Câmara Municipal de Maceió, Chico Filho (PP), registrou nesta terça-feira (19) a passagem do Dia da Consciência Negra, chamando atenção para necessidade de localização da estátua de Ganga Zumba. A peça está desaparecida desde o fim das obras de revitalização da praça que leva o mesmo nome no bairro de Cruz das Almas. Segundo ele, este seria um presente tardio para comunidade e todos os que militam em torno da causa negra.

O vereador solicitou aos servidores da Secretaria Municipal de Infraestrutura, com a colaboração da Secretaria de Cultura, que localizem a estátua e pediu ainda o apoio da comunidade, já que as últimas informações davam conta de que o monumento estaria no bairro do Santos Dumont. “Trata-se de uma peça de valor histórico incalculável para Maceió e para Alagoas que merece retornar ao local escolhido criteriosamente para fixá-la, por ser o ponto do nosso território mais próximo do continente africano”, afirmou.

Ele relatou que os moradores da comunidade e militantes do movimento negro ficaram revoltados com o descaso no sumiço da estátua, que termina colaborando para o esquecimento da nossa cultura e da nossa identidade popular. “Aquela estátua foi colocada lá na década de 80, ainda na administração do prefeito José Bandeira, com recursos oriundos na época do Ministério da Educação e Cultura – que buscavam valorizar a história cultural de Alagoas”, afirmou Chico Filho. 

Para ele, antes de qualquer coisa é necessário resgatar todo o valor histórico que a cultura negra tem na formação do povo brasileiro. “Para isso, é preciso lembrar de ícones dessa história como Zumbi e Ganga Zumba, os primeiros que ficaram marcados na luta pelo fim da escravidão, da opressão e do racismo em nossa sociedade”, afirmou. 

Ele encerrou o pronunciamento homenageando o professor Edson Moreira, autor do ante-projeto encaminhado pelo governo do Estado à Assembleia Legislativa propondo a criação do feriado da Consciência Negra. “Foi a esposa dele, dona Lucinha, que me abordou e fez essa cobrança (sobre o sumiço da estátua), que agora torno pública e passo a defender”, explicou.

REGISTRO - Silvânio Barbosa e Heloisa Helena também fizeram referência a passagem do dia 20 de novembro. A vereadora Fátima Santiago que sempre discursa em relação à celebração deste dia está com uma forte inflamação de garganta, o que a impossibilitou de discursar sobre o tema.