PORTAL DA CÂMARA MUNICIPAL DE MACEIÓ

20/06/2017

Comendas Dom Fernando Iório e Selma Bandeira serão entregues nesta quarta

Honrarias foram propostas pela vereadora Fátima Santiago em homenagem a personalidades que se destacam na defesa dos idosos e das mulheres


Comendas Dom Fernando Iório e Selma Bandeira serão entregues nesta quarta

Nesta quarta-feira (21), a Câmara Municipal de Maceió fará a entrega da Comenda Dom Fernando Iório Rodrigues, destinada a personalidades e instituições nacionais e locais, que se destacam em prol dos direitos das pessoas idosas, e a Comenda Deputada Selma Bandeira, conferida a personalidades e instituições que se destacam na defesa das mulheres e da cidadania.

Proposta pela vereadora Fátima Santiago (PP) a sessão solene, que acontecerá a partir das 9h, no Plenário da Casa, é alusiva ao Dia de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, comemorado mundialmente em 15 de junho.

Na solenidade, em reconhecimento aos serviços prestados em benefício dos idosos, a parlamentar homenageará a Irmã Rita Lamanna. Já a Comenda Deputada Selma Bandeira, será conferida a Crismédio Neto pelos relevantes serviços prestados como conselheiro da Secretaria Nacional de Direitos Humanos.

Durante a sessão, a coordenadora da Comissão de Direitos Sociais da Associação Brasileira das Mulheres de Carreira Jurídica (ABMCJ-AL), Cosmélia Fôlha, ministrará palestra com o tema "Envelhecer bem é um direito". O debate tem como objetivo avaliar as políticas públicas voltadas para os idosos e de que maneira elas contribuem para a qualidade de vida desse público.

A vereadora Fátima Santiago defende que a questão dos direitos e garantias aos idosos é um tema recorrente e fundamental, embora o envelhecimento seja um processo natural. “A velhice não é um problema, mas significa que a pessoa chegou ao ápice do seu desenvolvimento e precisa, como qualquer cidadão, ser respeitada, ter seus direitos garantidos e ter políticas voltadas para sua condição peculiar. O que podemos observar é que muitas vezes a velhice é vista como sinônimo de doença, de incapacidade física e mental. É lógico que o corpo do idoso é mais frágil e está mais propenso a doenças. Mas a doença não é condição da velhice, pois cada pessoa envelhece de uma maneira diferente", destaca.

Ela ressalta ainda que cada ser humano é único. "Cada homem envelhece de maneira particular. Uns saudáveis, outros não. O envelhecimento deve ser considerado um processo tipicamente individual, existencial e subjetivo, cujas consequências ocorrem de forma diversa em cada sujeito. Cada indivíduo tem um tempo próprio para se sentir velho”, conclui.